Curiosidades


Página destinada a conteudo do segmento automotivo

 

 

É muito comum, ao escolher um veículo, o proprietário ficar muito atento a potência; porém um fator muito negligenciado e muito importante para o desempenho é o torque.

"Mas, espere aí, não é a mesma coisa?"
Na verdade, não. Explicando de maneira simplificada, o torque, que no Brasil é expresso em Kgfm (quilograma força metro), é o responsável por gerar força motriz, ou seja, a grosso modo, é o que tira o seu veículo do lugar e dá aquela sensação de "empurrão" em uma determinada faixa de giro do motor.
Já a potência, medida em CV (cavalo vapor) é como o conjunto entrega velocidade.

Bem, com essa pequena explicação, podemos concluir que veículos mais pesados precisam de maior torque pra vencer a inércia e serem "empurrados".
Agora chegamos ao ponto. Ao escolher uma caminhonete, SUV, Van ou até mesmo caminhão, o fator mais importante a se considerar é o torque. Afinal, são veículos pesados e normalmente não precisam de tanta velocidade.

E os motores Diesel são especialistas nisso. Normalmente, em faixa de potência semelhante a dos motores a gasolina ou flex, tem muito mais torque.

E pra ajudar você a escolher, a Fusão Diesel montou uma lista das 5 Caminhonetes e 5 SUVs Diesel 0Km com maior torque a venda no Brasil.


Caminhonetes

1º Lugar - Volkswagen Amarok 3.0 V6 4x4 Automática 2019
torque: 56,1 Kgfm a 1500 rpm
potência: 225 cv a 4000 rpm


2º Lugar - Chevrolet S10 2.8 Turbo 4x4 Automática 2019
torque: 51 Kgfm a 2000 rpm
potência: 200 cv a 3600 rpm


3º Lugar - Ford Ranger 3.2 Turbo 4x4 Automática 2019
torque: 47,9 Kgfm a 1750 rpm
potência: 200 cv a 3000 rpm


4º Lugar - Nissan Frontier 2.3 Turbo 4x4 Automática 2019
torque: 45,9 Kgfm a 1500 rpm
potência: 190 cv a 3750 rpm


5º Lugar - Toyota Hilux 2.8 Turbo 4x4 Automática 2019
torque: 45,9 Kgfm a 1600 rpm
potência: 177 cv a 3400 rpm


SUVs

1º Lugar - BMW X5 M50d 2019
torque: 75,5 Kgfm a 2000 rpm
potência: 400 cv a 4400 rpm


2º Lugar - Land Rover Range Rover Vogue SE 4.4 V8 2019
torque: 56,1 Kgfm a 1750 rpm
potência: 339 cv a 2500 rpm


3º Lugar - Land Rover Range Rover Sport SE 3.0V6 2019
torque: 71,4 Kgfm a 1500 rpm
potência: 306 cv a 4000 rpm


4º Lugar - BMW X5 XDrive30d 3.0 2019
torque: 63,2 Kgfm a 2000 rpm
potência: 265 cv a 4000 rpm


5º Lugar - Mercedes-Benz GLS 350 3.0 V6 Turbodiesel 2019
torque: 63,2 Kgfm a 1600 rpm
potência: 258 cv a 3400 rpm


E aí? O que achou dos nossos campeões de força-bruta?
Para saber o torque do seu carro, você pode consultar o manual do proprietário ou pesquisar no site do fabricante.


Deivis Djones Moreno

 

____________________________________________________________________________________________________________________

9 dicas para economizar combustível no seu veículo diesel

Você já se perguntou se tem como gastar menos com diesel?
Pois é. Com o valor dos combustível cada vez mais alto, é natural que procuremos cada vez mais essa economia, seja no valor dos combustíveis, seja por práticas mais eficientes.
Mas afinal, o que realmente pode ser feito para essa conta diminuir no final do mês?
Leia o artigo completo e descubra.


1. Boas práticas de condução

Eu sei. Você dirige a um bom tempo e provavelmente já desenvolveu alguns vícios de condução. É natural e acontece com quase todo mundo. Mas essas atitudes podem prejudicar o desempenho e o consumo do seu veículo.
E isso vale para qualquer veículo, desde seu carro particular, até o caminhão da sua frota. Você pode, por exemplo, evitar as freadas e arrancadas bruscas e desligar o veículo em congestionamentos. Nas velocidades acima de 55km/h, é mais econômico usar o ar-condicionado do que andar com as janelas abertas.Estudos apontam que apenas essas pequenas práticas podem reduzir o consumo em até 15%.
Então, vale a pena rever pequenos hábitos ou investir em treinamento e conscientização dos motoristas da sua frota. No final, o seu bolso vai agradecer.


2. Cuidado com o peso

Não, não estamos te vendendo nenhum projeto fitness. Estamos pensando é na carga do veículo. Todo automóvel tem um limite de carga, e ultrapassar esse limite, além de perigoso, é contra a lei. Porém, independente do limite, temos que levar em consideração que quanto maior o peso, maior o consumo. Também vale lembrar que mais peso acarreta em maior desgaste dos pneus e da suspensão.
Então, cuidado com o volume e, principalmente, não ultrapasse o limite de carga do seu veículo.


3. Mantenha os pneus calibrados

Parece uma coisa óbvia, mas muita gente esquece. Manter os pneus com a calibragem correta contribui para um melhor desempenho, consumo e segurança.
Usar uma calibragem muito alta pode comprometer a estabilidade do veículo; já se estiver baixa, aumenta o consumo. Nos dois casos, vai existir um desgaste excessivo dos pneus.
Vale lembrar que a calibragem pode ser diferente para o veículo carregado ou vazio, então não deixe de consultar o manual ou o fabricante para conferir os valores ideais.
Para o seu veículo de passeio, verifique ao menos 1 vez por semana para garantir. Já nos veículos de uso comercial, verifique a periodicidade ideal conforme o uso ou faça a checagem pelo menos antes de cada viagem.


4. Tenha um (ou mais) posto de abastecimento de confiança

Além do preço dos combustíveis, no Brasil sofremos com um outro problema bastante grave: a picaretagem. Quantas histórias você já ouviu de pessoas que abasteceram e passaram a ter problemas de falhas, travamentos, apagões, etc.
Isso pode ser resultado de combustível ruim, adulterado, falsificado e até mesmo velho. Por isso, desconfie de preços excessivamente baixos e procure postos de confiança. O barato pode sair (bem) caro.
Ah, e se você tem frota, vale tentar um parceria com um distribuidor: você pode conseguir uma boa economia na negociação.


5. Fique de olho na velocidade

"Vou ter que andar devagar?" Não é isso. Apenas tem que ficar atento com os excessos. Velocidades muito altas demandam mais esforço do motor e, consequentemente, gastam mais combustível.
Então, evite os exageros. Aumente a velocidade gradualmente e não ultrapasse os limites.


6. Planeje o trajeto com antecedência

Hoje temos a disposição diversas ferramentas que nos permitem visualizar e planejar de maneira relativamente fácil o trajeto a ser realizado.
Além da melhor rota, podemos prever até mesmo os horários de menor fluxo, evitando congestionamentos e atrasos, gerando uma maior economia.


7. Troque as marchas no tempo certo

Essa dica tem a ver com a nº1 e nº5. É uma questão de hábito e cuidado com o exagero.
Muitos motoristas trocam as marchas em regimes de rotação muito altos, visando atingir uma determinada velocidade em menor tempo; porém esse esforço maior se traduz em maior consumo e emissão de poluentes.
Por isso, vale novamente a dica 5: aumente a velocidade gradualmente até atingir a faixa de rotação ideal para a troca de marcha.
Procure saber qual é essa faixa de rotação e fique de olho no conta-giros. Vale lembrar que rotações muito baixas, aquelas muito próximas da marcha lenta, também podem aumentar o consumo e desgastar o motor.


8. Manutenções preventivas

Se você perguntar, todos vão dizer que é o método ideal pra evitar problemas. Mas sejamos sinceros, quantas pessoas você conhece que realmente fazem a tal manutenção preventiva?
Seja por falta de planejamento ou apenas esquecimento, a verdade é que são poucos os que conseguem fazê-la. Para evitar o estresse, procure planajar com antecedência, anotando na agenda do celular, por exemplo. Você pode, inclusive, fazer a manutenção preventiva dividindo em partes, como suspensão, elétrica, motor, etc. Dessa forma pesa menos no bolso. Só não vale ficar adiando.
E você ainda pode ganhar em consumo; afinal, com a manutenção em dia, o veículo tende a ter melhor desempenho.


9. Evite a "banguela" (andar em ponto-morto)

Utilizar o ponto-morto com o veículo em movimento é uma prática bastante comum e vem por hábito de longa data. Seu pai e seu avô faziam isso. Porém, além de ser uma prática perigosa, ela é totalmente desnecessária e até mesmo custosa.
Perigosa porquê se você tiver que retomar a aceleração para um desvio brusco, os segundos que você vai perder engatando a marcha novamente podem ser a diferença entre a ocorrência de um acidente ou não.
Além disso, hoje em dia quase todos os veículos possuem o sistema Cut-off, que corta a injeção de combustível quando não se está acelerando. Ou seja, com a marcha engatada e sem acelerar, o veículo consome menos do que na "banguela".

 

E aí, vamos aplicar essas dicas no seu dia-a-dia?


Deivis Djones Moreno

Siga-nos: